Como e por que mobilizar as suas redes?


Por séculos os homens se mobilizam para o cumprimento de ações que viabilizem conquistas para as suas comunidades. Com o avanço tecnológico das últimas décadas, conectar e mover redes se tornaram possíveis à boa parte da população do planeta.

Todos os dias há uma rede sendo mobilizada, você pode identificar isso nos costumeiros eventos no qual você é convidado pelo Facebook (uma mídia que reúne diversas redes), por exemplo. Eventos históricos de mobilização aconteceram ao longo dos séculos, inclua aí ações que transformaram políticas públicas, reconhecidas como frutos de lutas comunitárias em prol de minorias.

Por que mobilizar?

Antes de tudo, saiba que não existem verdades estabelecidas sobre o tema, mas algumas características de uma mobilização requerem convergência de ideias, propósitos, ainda que não necessariamente de objetivos.

Muitos grupos se reúnem, especialmente por reivindicar melhores condições de trabalho e políticas dedicadas ao fomento de ações culturais e sociais, por exemplo. Grande parte desses grupos buscam a mesma coisa, ainda que muitas vezes pratiquem ações diferentes. E isso é legítimo.

O entendimento e identificação pela causa pavimentam a ação. Reunir ideias que tragam transformações positivas à rede e ouvir a todos ativamente é um sinal de cuidado e trato, analisar as vantagens, desvantagens e considerar as objeções de cada ação, também faz parte do processo.

A mudança precisa ser benéfica para a maioria, e deve ter o interesse do grupo à frente das individualidades identificadas. Não perca tempo tentando agradar a todos! As diferentes visões de mundo, referências e repertórios, torna a mobilização equilibrada, e isso é bom.

Como mobilizar?

A evolução tecnológica amplificou vozes e ideias em grande parte do mundo. Elas alcançaram grupos que outrora teriam dificuldades em expor suas lutas e conectaram, local e globalmente, ações jamais pensadas em outros tempos.

O tato e a proximidade entre os indivíduos é essencial, no entanto, as mídias sociais trouxeram um alcance de pensamentos, em grande parte positivos, que podem ser aproveitados por qualquer pessoa que se identifica com determinada causa e principalmente, ajudam a replicar boas ideias em seus contextos.

Identifique a sua causa. Relacione-se e mobilize a sua rede!

Identificação da causa

Todos nós fazemos parte de alguma rede (amigos, familiares, trabalho, projetos), sejam as ativas, que podem ser fortalecidas e engajadas em seus propósitos; ou as passivas, que pouco se relacionam. Busque por questões e projetos do qual você gostaria de trabalhar/ criar. Procure saber quem são as pessoas que podem fazer parte dela, defina um ou mais perfis de parceiros, mova-se!

Relacionamento

Pesquise por grupos, coletivos e movimentos do qual você poderá trocar ideias, dificuldades e projetos. Convide-os para conversar em grupo, ouça com atenção suas histórias e identifique os pontos de convergência de ideias, lide abertamente com as diferenças e questões onde possam haver equilíbrio das propostas. Troquem experiências, contatos, avancem juntos.

Mobilize!

Reúna as pessoas que possam guiá-lo ao objetivo da rede. Crie eventos em redes sociais, promova ações presenciais, trocas, engaje as pessoas a "comprarem" a ideia principal. Trabalhe para que todos entendam as metas, táticas e estratégias, e como cada um pode se beneficiar com aquilo. Peça referências de apoiadores de projetos e movimente uma ação de compartilhamento em seus canais sociais. Ufa!

Para se Inspirar

Separamos aqui dois cases que ilustram a força de mobilização de redes. É importante lembrar, que independente de quem idealizou as ações, a causa permanece para cumprir com o seu propósito.

. Think Olga - Case: "Chega de Fiu Fiu" - Saiba mais

. Pimp My Carroça - Saiba mais

Conclusão

Mobilizar uma rede passa pela criação de confiança e transparência entre os envolvidos. Existem complexidades que serão encontradas no processo e isso não quer dizer que os participantes não possam caminhar juntos, mas como dissemos, encontrar um equilíbrio será fundamental para mantê-la.

É necessário ter a clareza dos objetivos da rede, unir e expandir ideias, e não reforçar ambições individuais, dessa forma, as pessoas deverão realizar e trabalhar para o todo.

Uma rede forte é construída com vivências e projeções de melhora, de anseios por uma realidade diferente da que os participantes estão inseridos e principalmente, por respeito entre as partes.

#Mobilização #redes #comunidades #confiança #pimpmycarroça #thinkolga

Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.